Repara-me Isto

Como escolher um picheleiro

Como escolher um picheleiro?

Como escolher um picheleiro?

Conheça as funções principais de um picheleiro (ou canalizador) e como escolher um profissional adequado ao serviço pretendido.

Funções do picheleiro

Entre as funções mais comuns, encontram-se:

  • Instalação e manutenção de canalizações de água e esgotos;
  • Instalação e manutenção de redes de água;
  • Marcação e realização de roços e/ou furos para passagem da canalização;
  • Realização de testes de estanquidade e pesquisa de fugas;
  • Montagem de autoclismos, torneiras e louças sanitárias;
  • Pesquisa e resolução de fugas de água;
  • Outras tarefas como a montagem de termoacumuladores, cilindros e outros acessórios de aquecimento de água.

Quando detém formação específica em aparelhos de gás, os canalizadores podem também realizar outras funções como:

  • Instalação e reparação de aparelhos a gás, como esquentadores e caldeiras;
  • Instalação e conservação de redes de gás;
  • Instalação e manutenção de ramais, equipamentos e acessórios de gás;

Como escolher um picheleiro?

A escolha do profissional ou empresa de pichelaria deve ter em consideração alguns critérios, entre os quais a sua experiência e a certificação pela entidade competente.

Destacamos a importância de contratar profissionais certificados, já que dessa forma poderá salvaguardar a resolução de eventuais problemas. Para confirmar a regularização do profissional ou da empresa, poderá consultar o site do IMPIC.

Uma das formas tradicionais de conhecer os melhores profissionais é através da recomendação de amigos e familiares, já que a publicidade boca-a-boca continua a ser um meio fidedigno de informação.

Se pretender mais informações ou um orçamento gratuito, contacte-nos.

Como escolher uma lâmpada: Temperatura da luz

Como escolher uma lâmpada: Temperatura da Luz

Como escolher uma lâmpada: Temperatura da Luz

Quando entramos num espaço, seja residencial, comercial ou industrial somos impactados pela temperatura da luz. 

Nas lâmpadas, a temperatura da cor é medida em graus Kelvin (K) e quanto maior o seu número, mais azul será a luz.

Uma lâmpada com 2700K produz uma luz mais amarelada, mais próxima da luz da Natureza, enquanto que uma lâmpada de 6500K produz uma luz mais branca-azulada e artificial. As lâmpadas com 4000K designam-se neutras.

E que lâmpada devo escolher? Depende!

Lâmpadas de 2700K

De luz amarela, são mais utilizadas em quartos e salas, pois transmitem uma maior sensação de conforto.

Lâmpadas de 4000K

De luz neutra, são comuns em cozinhas, WCs e escritórios.

Lâmpadas de 6500K

A sua luz branca é mais utilizada em cozinhas, WCs, áreas de serviço e locais de trabalho mais minucioso. 

Embora a temperatura da luz tenha o seu impacto nas sensações dos espaços, a preferência pessoal deve sempre ser o mais importante. 

Leia também: 5 aspetos a ter em conta na escolha de lâmpadas.

Caso necessite na nossa ajuda, não hesite em contactar-nos.

Como Escolher Lâmpadas - 5 Aspetos a ter em conta

Escolha de lâmpadas: 5 aspetos a ter em conta

Escolha de lâmpadas: 5 aspetos a ter em conta

A escolha de lâmpadas não é uma tarefa tão simples quanto parece à primeira vista. É necessário ter em consideração vários pormenores para que façamos a escolha acertada.

Conheça aqui 5 dos aspetos a ter em conta na hora da compra:

1. Formato

Existem diversos formatos e tamanhos de lâmpadas disponíveis no mercado, mediante o destino que lhe queremos dar, como por exemplo a lâmpada em globo, em tubo ou em vela.

2. Tipo de casquilho

As lâmpadas domésticas mais comuns dividem-se, essencialmente, em dois tipos de casquilho: E14 ou E27 – também chamados de rosca fina e rosca grossa, respectivamente. Existem vários outros tipos, como os GU10 e os GU5.3 para focos encastráveis.

3. Cor da luz

Também designada como temperatura da luz, é medida em graus Kelvin (K) e divide-se em luz amarela (ou quente), neutra e branca (ou fria). A luz amarela – que nos lembra das velhinhas lâmpadas incandescentes – poderá rondar os 2700K, a luz neutra tem um valor aproximado dos 4000K e considera-se luz branca aquela com um valor superior aos 5500K, sendo que quanto maior o número de K, mais azulada será essa luz.

4. Watts VS Lúmens

Muita gente ainda olha para os Watts para saber quanta luz irá aquela lâmpada emitir. Mas esse não é o parâmetro a que devemos prestar atenção se é a luminosidade que queremos saber, mas sim aos Lumens. Os Watts (W) referem-se à potência, ou seja, ao consumo de energia da lâmpada por cada hora que fica acesa, enquanto que os Lumens (Lm) se referem ao fluxo luminoso e à quantidade de luz emitida.

5. Índice de Reprodução de Cor (IRC)

O IRC indica-nos a fiabilidade com que vemos as cores sob aquela luz e tem como valor máximo 100, ou seja, quanto mais próximo desse valor for o IRC da lâmpada, melhor iremos ver e distinguir as cores. Este aspeto é especialmente importante para espaços de trabalho, ainda que se recomende um índice mínimo de 80 para qualquer ambiente.

Caso necessite na nossa ajuda, não hesite em contactar-nos.

4 tipos de acabamentos na pintura de interiores

4 tipos de acabamentos na pintura de interiores

4 tipos de acabamentos na pintura de interiores

Quando decidimos pintar as nossas paredes da casa, costumamos focar-nos apenas na cor que desejamos. Mas tão importante quanto a cor, é escolher o acabamento certo para cada utilização.

Conheça com mais detalhe os 4 tipos de acabamentos na pintura de interiores.

Acabamento Brilhante (ou de Alto Brilho)

As tintas de acabamento brilhante, por vezes chamadas de esmaltes, têm uma aparência altamente reflexiva. É o tipo de acabamento mais durável e resistente a manchas e oferece também uma grande facilidade de limpeza.

O acabamento brilhante é ideal para áreas muito movimentadas. A sua utilização é mais frequente em cozinhas, casas de banho, gabinetes, corrimões e esquadrias interiores.

O seu efeito reflexivo poderá não ser o ideal se a superfície não for bem preparada e tiver algumas imperfeições, já que tende a realçar estes defeitos.

Acabamento Semibrilhante

O acabamento semibrilhante é o ideal para acabamentos duráveis e menos brilhantes. Tem uma boa resistência a manchas e oferece facilidade de limpeza.

É o acabamento ideal para paredes ou madeiras sujeitas ao desgaste, como cozinhas, casas de banho, corredores e quartos de crianças.

Acabamento Acetinado

A tinta com acabamento acetinado tem um brilho entre o semibrilho e o mate, ou seja, tem apenas ligeiros reflexos, muito discretos.

Este acabamento é uma ótima solução para áreas onde se pretende um brilho discreto, com boas propriedades de limpeza. É adequado para halls, salas e esquadrias.

Acabamento Mate (ou Fosco)

As tintas mate não são reflexivas nem têm brilho.

Em relação a outros tipos, a tinta fosca tente a esconder melhor algumas imperfeições e irregularidades.

A remoção de manchas não é tão fácil quanto noutros acabamentos, embora já existam tintas formuladas especialmente para facilitar a remoção da sujidade.

Qual o custo do serviço de pintura de interiores?

O custo do serviço de pintura depende de diversos elementos, como o estado geral das superfícies (se necessitam de reparações), a área a pintar e a cor a aplicar. Por exemplo: se queremos pintar de branco uma parede vermelha, o número de demãos e o consumo de tinta será muito superior ao de fazer o oposto.

O acabamento das superfícies depende da mão-de-obra e dos materiais. Por isso mesmo, na Repara-me Isto, os serviços de pintura são realizados por profissionais devidamente qualificados e as tintas e ferramentas utilizadas são de elevada qualidade.

Caso necessite na nossa ajuda, não hesite em contactar-nos.